Tab Energia
Saiba o quanto você irá economizar Simulação

Blog

5 erros comuns na hora de contratar empresas de energia solar

Neste artigo separamos uma lista com os 5 erros mais comuns na hora de escolher uma empresa de energia solar. Boa leitura e fique atento aos tópicos para evitar futuros transtornos após fechar um negócio, afinal, você pode conseguir “pagar metade”, porém não esqueça que o risco de receber "um terço" do projeto é muito grande. 

Erro 1: Equipamentos e Componentes


Se você selecionar uma empresa integradora de energia solar fotovoltaica “aventureira no mercado”, que não tenha suporte ou parceria concreta com uma empresa já conceituada, e que pratica preços muito abaixo do padrão de mercado, muito provavelmente receberá componentes mais baratos, advindos de fornecedores duvidosos e até com garantia menor que o padrão estabelecido no mercado.

Em fábricas recentemente instaladas, é muito comum que as primeiras unidades produzidas por sua linha de montagem apresentem pequenos defeitos, oriundos dos equipamentos de manufatura que ainda não foram completamente calibrados.

Os equipamentos mais baratos são aqueles que tem procedência duvidosa, o que justifica a diferença de preço de até 40% em um inversor, que, entretanto, não possui registro no INMETRO, sem o qual não é possível solicitar, junto a distribuidora local, o acesso formal à rede pública de energia elétrica.

Não é raro o uso de perfis de outros metais que não sejam alumínio ou aço inoxidável, que podem apresentar “corrosão galvânica” e se deteriorarem antes mesmo do sistema fotovoltaico dar o retorno financeiro contratado.

Apesar de não recomendável, é comum aos “barateiros” utilizarem cabos elétricos comuns na interligação entre o arranjo de placas e o inversor , quando obrigatoriamente  deve-se utilizar o chamado cabo solar, que apresenta valor maior que o cabo comum, porém permite que o sistema opere de forma adequada sem perdas e sem manutenção precoce.

Os disjuntores e fusíveis, quando utilizados, devem ser próprios para trabalhar com corrente contínua, que também são mais caros que os modelos mais comumente encontrados no mercado, que são próprios para trabalhar com corrente alternada.

Erro 2: Mão de Obra


A mão de obra de instalação, se também for de baixo custo, muito provavelmente será de pessoas sem qualificação e capacitação. É importante verificar se há certificações mínimas como NR-10 e NR-35.

Essas pessoas dificilmente farão um trabalho tecnicamente aceitável, podendo deixar o imóvel em situação de risco e ainda correndo sérios riscos de choque elétrico e queda em grande altura. Nesses casos o cliente acaba pagando muito mais caro devido a revisões de projeto e de instalação.

A mão de obra qualificada garante a correta instalação e desempenho do sistema gerador solar durante toda a sua longa vida útil.

Erro 3: Garantias


Cobrar preços abaixo do custo significa que a empresa não está obtendo lucro, e isso é indício de que essa empresa não durará muito.

Assim, é provável que ela vá deixar o cliente com uma pilha de componentes de baixa qualidade, sem garantias atestadas, colocando em risco tanto o gerador solar fotovoltaico quanto o próprio imóvel, considerando o risco de incêndio provocado por uma instalação elétrica deficiente.

Erro 4: Assistência Técnica


Muitas "empresas aventureiras", com o intuito de reduzir custos, não possuem uma equipe qualificada para assistência técnica.

Logo, no momento que o cliente precisar de algum auxílio, seja na hora de configurar o monitoramento remoto ou resolver alguma outra demanda que eventualmente possa aparecer, não haverá ninguém para suprir a necessidade.

Erro 5: Comprar Assinatura do Projeto


E, por fim, caso você pretenda realizar todas as “economias arriscadas” descritas acima, pode se dar ao luxo de cometer o “último dos pecados”, que é “comprar a assinatura” de projeto de um caneteiro.

O termo “caneteiro” é dado aos profissionais inescrupulosos que praticam uma das ações mais condenadas pelas entidades de classe profissional, que é simplesmente vender a sua assinatura para o requerimento de uma Anotação de Responsabilidade Técnica (ART).

Esse profissional não irá acompanhar a obra, não oferecerá auxílio técnico e, muito provavelmente, nem tomará conhecimento do teor do projeto, mas vai “cobrar baratinho” pra fornecer a assinatura técnica necessária para registra-lo junto à distribuidora.

O risco está no fato desse profissional não prestar as devidas assistências à elaboração do projeto, deixando que seja feito de qualquer forma, com chance da instalação ficar extremamente fora do que foi planejado. No “papel” será uma coisa, mas na realidade será outra.

Antes de você contratar sua empresa de energia solar não deixe de verificar se a mesma não se enquadra em nenhum dos pontos apresentados acima.

Desfrute dos diversos benefícios de um sistema fotovoltaico contratando uma empresa competente!

 

Texto: Ramon Khül



Voltar
Fale com um especialista